Tuesday, August 5, 2008

46 anos depois...

Faz hoje 46 anos que Marilyn Monroe foi encontrada morta na sua casa de Brentwood, na Califórnia. Como não poderia deixar de ser deixo a minha homenagem a um dos ídolos e a uma das mulheres mais poderosa e cheia de sexappeal que existiu.
Norma Jean Baker nasceu a 1 de Junho de 1926. Filha de Gladys Pearl Monroe e de pai desconhecido (embora muitos dos seus biografos acreditem que o seu pai seja Charles Stanley Gifford), passou a maior parte da sua infância entre orfanatos e familias de acolhimento, até que a 19 de Julho de 1942 é obrigada a casar com Jimmy Dougherty, sendo que a outra opção é voltar para os orfanatos.
Com a chegada da guerra aos Estados Unidos o seu marido é destacado para o Pacifico. Norma Jean começa então a trabalhar numa fábrica, colaborando para o esforço de guerra. É descoberta por um fotógrafo que lhe tira algumas fotos e assim começa a sua carreira de modelo aparecendo em várias revistas. Para prosseguir com a sua carreira ela pede o divórcio em 1946.
A 26 de Agosto de 1946 assina o seu primeiro contrato com a Twentieth Century Fox, pinta o cabelo de loiro platinado e muda o seu nome para Marilyn Monroe, sendo o último nome o nome da sua avó.
O primeiro papel de Marilyn em um filme foi uma participação, em 1947, em The Shocking Miss Pilgrim. Teve uma pequena participação no filme Asphalt Jungle que lhe deu a projecção necessária para o seu papel de Claudia Caswell no filme "All About Eve" com a mega estrela Bette Davis. Fica uma das cenas de Marilyn no filme:



Teve papéis em filmes como Let's Make It Legal, As Young As You Feel, Monkey Business e Don't Bother to Knock. Ganhou mais projecção no filme "Niagara", onde interpreta uma esposa que quer matar o seu marido. Brilhante interpretação da música "Kiss":


Em "Gentlemen Prefer Blondes" brilha com a sua voz. E quem é que pode esquecer a sua interpretação de "Diamonds are a girl's best friend":


Logo em seguida é uma das protagonistas do filme "How to marry a millionaire", que tal como o nome indica é a saga de jovens modelos que procuram homens ricos para casar e terem um futuro assegurado.
A sua vida pessoal continua em alta com o seu casamento com Joe DiMaggio a 14 de Janeiro de 1954. Mas após apenas nove meses de casamento e muito em parte devido à cena atrevida de "Seven Year Itch" DiMaggio pede o divórcio. A cena do filme é talvez a imagem mais guardada de sempre no imaginário colectivo. Marilyn em cima de uma das saidas de ar do metro de Nova Iorque:



Em 1955, troca Hollywood por Nova Iorque e vai para a escola de teatro de Lee Strasberg. Farta de ser tratada como uma loira burra e com a intenção de fazer papéis sérios, cria a sua própria produtora, a Marilyn Monroe Productions, que realiza filmes como "Bus Stop" e "The Prince and the Showgirl" onde contracena com Sir Laurence Olivier.
"Bus Stop" trailer:



"The Prince and the Showgirl" trailer:


Entretanto, Marilyn Monroe casa com o dramaturgo Arthur Miller e abandona por algum tempo os estúdios. Por fim, vive a vida que sempre desejou: tem uma casa e uma familia. Engravida, mas perde a criança. Pouco depois vê-se de novo forçada a voltar aos estúdios, uma vez, que Arthur não conseguia sustentar a casa.
Volta com o filme "Some like it hot" e mais uma vez vemos o seu talento musical no máximo:



Pouco depois, Arthur escreve um papel para a sua mulher num filme a que chama "The Misfits". Os problemas do casal começam a vir ao de cima com a dependência cada vez maior de barbituricos de Marilyn. Mesmo antes do fim das gravações do filme o casal separa-se.
Marilyn entra numa crise nervosa e é internada numa clinica para recuperação. Dias depois sai.
É de novo chamada pela Fox para participar num filme "Something's Got to Give", mas devido aos constantes atrasos e ao facto de ter participado na festa de aniversário de Kennedy é despedida. Alguns dias depois volta a ser contratada.
Marilyn cantou os Parabéns a você mais conhecidos de todo o mundo a 19 de Maio de 1962. Com a sua voz sensual e o vestido mais justo que alguma vez usou, encantou J.F.Kennedy com quem saiu, depois da cerimónia terminar, para um hotel.


Mesmo antes de voltar às gravações do filme que estava a fazer na altura, Marilyn Monroe é encontrada morta a 5 de Agosto de 1962 , nua, em cima da sua cama, na sua casa de Brentwood. Chegava ao fim a vida trágica desta mulher que só queria ser amada e que não queria que a tratassem como um boneco, mas sim como um ser humano. O relatório da autopsia diz-nos que a sua morte terá sido um provável suicidio com ingestão de comprimidos. No entanto, e passados tantos anos a dúvida persiste: suicidio, morte acidental ou homicidio, uma vez que sabia demais sobre a familia Kennedy?
Aqui fica a cena do seu último filme, filme esse inacabado


Anos depois continua a preencher o imaginário de muitos e a ser o símbolo sexual do século XX. Imitada pelos maiores icones de todos os tempos continua a viver nos seus filmes e nas conspirações de muitos.
Para terminar esta homenagem, nada melhor que as palavras da própria num poema escrito por ela:
"What I want to tell
Is what is on my mind
taint dishes
taint wishes
flinging
by
before I
die"...

1 comentários:

Isa said...

Talvez a maior lenda que alguma vez existiu!
E como icone que foi, teve um final condizente com a sua vida: dramático!

Bjo grandeee!! Adoro.tiii!!