Monday, May 27, 2013

Bitch mode: On


Então prima quando emprenhas? (este foi o termo utilizado)

Ora bem, depois desta frase começou o meu monólogo interior que durou alguns segundos:
Ora pois, ainda sou muito nova, ainda tenho muito para ver, muito para viver, uma criança agora nem pensar. Além disso, gosto de viajar e de estar sozinha. Não que não aprecie a companhia de outros, mas quando a maioria dos outros não aprecia o mesmo que tu, arranjas forma de te adaptar e começas adorar estar sozinha. Não tens de dar satisfações, não tens de conjugar planos. E mais, continuo achar que estar sozinha é bem mais complicado que estar com alguém. Porque partilhar os demónios com alguém até pode facilitar. Difícil é encarar os demónios sozinhos.
Também gosto de ter vários amigos, uma vida social, quando me é permitido pelo tempo disponível  extenuante. Gosto de conviver, gosto de apreciar o que a vida tem de bom. Uma boa conversa até altas horas, um bom vinho, boa música, concertos...
Ah, e esqueci-me de uma parte importante. Para ter filhos é necessário ter alguém ao nosso lado. Não alguém que diga amém a tudo e que não saiba distinguir um pé de uma mão, mas alguém que me possa apoiar, alguém que entenda o que digo, alguém que goste de ler ou que se não gosta, que me deixe ler. Que me deixe ter os meus pequenos prazeres literários e que me dê mais desses prazeres. Alguém que seja intelectualmente desafiante e alguém que partilhe do gosto pelas Artes e que consiga manter uma conversa com mais de duas palavras e que essas conversas não se cinjam a futebol e passar tardes no café a ver a vida dos outros.
E outra coisa. Estabilidade financeira. Sim, porque ter um filho é giro é só mais um para alimentar, nem vestir, nem levar ao médico. É preciso que a criança tenha amor, saúde e isso tudo, mas também quero que tenha uma boa educação, que possa experimentar o futebol, o ballet, a pintura, o surf, a música, tudo e mais alguma coisa. Que lhe possa proporcionar uma vida com um leque de escolhas enorme e não só o mundo com 3 opções.
E por fim, que saiba que veio quando era mais desejado, quando os pais se sentiam preparados e que foi algo muito desejado.

Respondi simplesmente:

"Os bebés são muita fofos, mas na casa dos outros".

2 comentários:

Eros said...

Como essa resposta me soa familiar... :)

blonde said...

O mais impressionante é que a maioria não entende a resposta. :)